Não há evidências que cães e gatos transmitem a covid-19 aos humanos, alerta gestor da SEDA do Recife

Gerente-geral da Secretaria Executiva dos Direitos dos Animais do Recife afirma que a convivência com os animais é física e emocionalmente benéfica para as pessoas

No próximo domingo (14) se comemora o Dia Nacional dos Animais, e nesse momento de pandemia provocado pelo covid-19, o gerente-geral da Secretaria Executiva dos Direitos dos Animais do Recife (SEDA), Magno José, alerta à população que não há estudos que comprovem que os animais domésticos são fonte de transmissão do coronavírus para os seres humanos. Estudos em todo o mundo demonstram que é mais provável que os humanos transmitam a doença aos cães e gatos.

“Os animais não são os vilões dessa pandemia, sob pena que as pessoas os abandonem, o que é configurado como crime. Ao contrário, os animais têm sido de grande apoio para a população nesse momento”, afirma Magno José. “Durante esse período da pandemia, os animais têm ajudado as pessoas a passarem por esse momento difícil”, acrescenta o gestor.

O gerente da SEDA destaca que a convivência com os pets ameniza o sofrimento do isolamento social, estreitam laços de afeto incondicional e, com isso, eleva a autoestima das pessoas. A relação com os bichos também diminui o estresse, a depressão e o risco de enfarto entre os humanos. "Os animais não julgam ou criticam, simplesmente eles aceitam e amam os humanos do jeito que são", sublinha Magno José.

A  autônoma e estudante de Enfermagem Marcelly Beatriz adotou há um mês Madonna, uma gata mestiça com siamês, para fazer companhia ao filho Marcelo, de 4 anos, que adora gatos e estava se sentindo solitário durante a pandemia. “Ela tem um jeito único e especial que nos encantou e nesse pouco tempo já a amamos. Ela nos pede carinho empurrando a cabeça pra cima da gente. Madonna trouxe felicidade para a família e alegra muito Marcelo”, diz Marcelly. 

HVR AMPLIA CASTRAÇÕES - O Hospital Veterinário do Recife (HVR), o primeiro do Norte e Nordeste, aumentou o número de castrações mensais desde fevereiro deste ano para 1.200 procedimentos. Em março, esse número foi elevado para 1.600. O esforço é para diminuir o número de cães e gatos abandonados na cidade. Quinzenalmente são disponibilizadas 800 vagas - para o mês de março já ocorreram agendamentos nos dias 1 e 2 para o serviço ao longo da primeira quinzena deste mês. Já nos dias 15 e 16, o HVR oferece à população outras 800 novas vagas.

Os agendamentos podem ser feitos por cidadãos residentes no Recife através do site www.seda.recife.pe.gov.br ou pelos telefones 3224-3001, 3224-4001, 3224-4002 e 3446-9808. O horário das marcações tanto online, quanto por telefone é das 9h às 12h e das 14h às 17h. Para ter acesso ao serviço, é preciso levar originais de comprovantes de residência com CEP do Recife, podendo ser faturas de concessionárias de água e de energia elétrica, de cartão de crédito ou declaração de associação de moradores com o CNPJ e assinatura do presidente da entidade, além de documento de identificação com foto do tutor.

Para realizar a castração, os cães e gatos necessitam estar em jejum de 12 horas de comida e três de água. O hospital fica situado à Avenida Professor Estevão F. da Costa, S/N, no Cordeiro, e funciona de segunda a sexta-feira, das 7h às 18h. Vale ressaltar que todas as dependências do hospital vêm recebendo sanitização diária contra o novo coronavírus.

BALANÇO - Por mês, o Hospital Veterinário do Recife realiza mais de 4 mil cirurgias e consultas, entre urgência, emergência e serviços ambulatoriais. Desde sua inauguração, em 2017, o HVR já castrou mais de 22 mil animais, fez 7.900 cirurgias e, somando todos os atendimentos, foram mais de 88 mil procedimentos.